terça-feira, 20 de novembro de 2012

acontece a todos!

o meu Fluffy com uns ares nada másculos!


Mais tarde ou mais cedo acaba por acontecer a todos.

Todas as pessoas que conheço que, por acaso (há quem diga que o acaso não existe), tiveram que partilhar a casa com um gato acabaram por ser subjugadas.

Geralmente começa da seguinte forma: “vou ficar com ele até encontrar dono”. E vá de enviar mails e sms para todos os contactos e de publicar no facebook fotografias, algo desfocadas, do pequeno felino com ares de quem está perdido no mundo.

Caso não se encontre um dono MUITO RAPIDAMENTE, a fase seguinte é: “oh, ao fim de um dia já me tinha afeiçoado ao bichinho…”

Pronto! Já está! A vida de escravatura tem início.

Toca de comprar a liteira, as tigelinhas, a comidinha, um ou outro brinquedinho, a caminha, a mantinha e, em menos de nada, existem pertencinhos do gatinho espalhados por todas as divisões da casa.

E o que é eu o gatinho faz? Ora, como qualquer Deus que se preze não faz muito e é adorado por tudo o que faça ou não faça.

Numa fase inicial o ser humano diz: “eu não deixo o meu gato dormir na minha cama! Nem pensar! Nem vai para cima do sofá… quem manda lá em casa sou eu!“ Isto apesar de já só pensar no gatinho o dia todo, de lhe escolher a comida preferida nas idas ao supermercado, de lavar as tigelinhas, mudar a água e a comida e de limpar diariamente os xixis e cocós. Ah, pois não! Ele nunca irá para cima do sofá! Ou da cama, da mesa, da bancada da cozinha… É só o gatinho aprender a pular!

E, ainda assim, a primeira vez que, finalmente, o gatinho consegue pular para cima do sofá ficando com as unhas presas no estofo é tão adorável!

A fase de “penso que mando” pode durar entre 1 a 3 meses. Mais é duvidoso. Por fim, todos acabam como eu que saio de casa de madrugada para ir trabalhar deixando os meus gatos (tenho um casal! São tão lindos!) a dormir na minha cama, com as tigelas cheias de comida e água (se me lembrar). Durante todo o dia têm a casa só para eles e só fazem o que lhes apetece. Por isso, há imenso tempo que deixei de pensar que eu é que mando. Eles mandam neles mesmos e em mim sem precisarem de dizer uma palavra e eu… ADORO!

9 comentários:

  1. afinal acontece realmente a todos e eu a pensar que tinha sido só comigo :)
    Não há dúvida lá em casa são eles que mandam...ainda bem que eu só tenho uma! :)

    Paula Heitor

    ResponderEliminar
  2. De todos os teus textos, este foi o que mais gostei até agora!!! talvez porque, como muitos, me revejo no mesmo:)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E porque não me espanto eu com este comentário?

      Fora de brincadeira... também gostei... mas ainda não sucumbi!

      Eliminar
  3. Não tenham a menor dúvida de que aquelas "bolinhas de pêlo mais fofinhas" mandam lá por casa. Ás vezes ainda tento impor-me, acenar o chinelo ao Sebastião, mas em vão. Quem manda lá em casa é ele!

    ResponderEliminar
  4. Podes crer, lá em casa o Jolie (meu gatinho) é rei e senhor :-) Muito bom o artigo. Parabéns. Vitor C.

    ResponderEliminar
  5. Gostaria de te convidar para conhecer minha loja virtual, a FaberShop (www.fabershop.com.br), e participar do sorteio do maxi colar na Fanpage do Facebook (www.facebook.com/lojafabershop).
    Obrigada!

    ResponderEliminar